PUBLICIDADE
POLÍTICA

Doria rejeita apoio a Lula em 2º turno contra Bolsonaro: “Populistas extremistas não gostam do diálogo”

Publicado por
Compartilhado
PUBLICIDADE

Vencedor das prévias do PSDB para ser o candidato do partido à Presidência da República em 2022, o governador de São Paulo, João Doria, afastou qualquer diálogo com o ex-presidente Lula (PT) contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em entrevista ao jornal Valor Econômico, nesta segunda-feira (29), o tucano refutou aproximação com o petista mesmo se for ao segundo turno contra Bolsonaro.

Questionado sobre as chances de pedir apoio a Lula se fosse ao segundo turno contra o atual chefe do Executivo, Doria respondeu: “O diálogo será sempre feito com quem merece o diálogo, com quem gosta, respeita e aprecia o diálogo. Populistas extremistas não gostam do diálogo. Gostam de impor suas posições, de determinar, de mandar, o que torna mais difícil o diálogo”.

Em relação ao ex-juiz Sergio Moro (Podemos), o governador paulista afirmou nutrir amizade com o ex-ministro da Justiça do governo Bolsonaro, com quem já ensaia uma aproximação.

“Tenho respeito e amizade com o Sergio Moro. Entendo que ele deva fazer parte desse bom diálogo, nesse sentido democrático-liberal-social”, disse.

Na entrevista, o tucano também declarou não ter problemas de diálogo com Ciro Gomes (PDT) e abriu as portas para uma possível aliança.

“Não há razão para não ter um diálogo com Ciro”, acrescentou.

Doria, no entanto, tem poucas chances de ir ao segundo turno. Segundo pesquisa Ipespe divulgada na última sexta (26), o PSDB não passa de 2% nos dois cenários. O levantamento mostra Lula com 42% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, com 25%, e Sergio Moro e Ciro Gomes, tecnicamente empatados em terceiro lugar, co 11% e 9%, respectivamente.

O governador de São Paulo nega ainda que o PSDB tenha saído enfraquecido das prévias. Ele defende que, mesmo com todos os problemas e divergências, o partido saiu mais forte da disputa interna.

“O PSDB sai fortalecido. É o único partido que fez prévias no Brasil, portanto, houve uma mobilização nacional”.

“Agregação, soma, união: estas são as palavras de ordem a partir de agora”, destaca.

PUBLICIDADE
Halysoh Macêdo

Administrador e criador do portal de notícias, PODER AO POVO. Contra as fakes news.

Deixe um comentário
PUBLICIDADE