Senado aprova Auxílio Brasil e retoma brecha para fila de espera

Compartilhe seu amor

Por articulação do governo, o Senado alterou a proposta que cria o Auxílio Brasil e retomou a brecha para que haja fila de espera no programa social. O Auxílio Brasil foi elaborado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) para substituir o Bolsa Família, marca ligada a gestões petistas.

Por votação simbólica, o plenário da Casa fez alterações na versão já aprovada pela Câmara e derrubou um mecanismo que tinha potencial de ampliar o número de famílias atendidas pelo programa. O texto aprovado pelos deputados iria pressionar a verba do Auxílio Brasil já em 2022.

Com a conclusão da votação no Senado, a proposta que cria o Auxílio Brasil agora segue para sanção.

Houve apoio inclusive de partidos de oposição, como o PT.

Por ter criado o Auxílio Brasil por meio de uma MP (medida provisória), o ato de Bolsonaro teve efeito imediato. No entanto, o projeto precisava do aval das duas Casas do Congresso até 7 de dezembro para não perder a validade.

A Câmara havia aprovado mudanças nas regras do programa que elevariam a cobertura da transferência de renda à população mais vulnerável, pressionando a verba do programa social para 2022. O orçamento de quase R$ 86 bilhões, que tem sido planejado para o ano que vem, poderia não ser suficiente.

Segundo o relator da MP na Câmara, deputado Marcelo Aro (PP-MG), a versão da proposta que passou pela Câmara elevaria o número de famílias beneficiadas para 20 milhões.

O governo trabalha com o cenário de que o Auxílio Brasil atenderá 17 milhões de famílias, a cobertura hoje é de 14,7 milhões.

Compartilhe seu amor
Imagem padrão
Halysoh Macêdo
Administrador e criador do portal de notícias, PODER AO POVO. Contra as fakes news.

Deixar uma resposta

4 × um =