Publicidade
Cuité PB

O caso do prefeito de Cuité e o problema para a população

Tribunal de Justiça da Paraíba condena prefeito de Cuité por crime ambiental. O Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB) julgou procedente, em parte, uma denúncia contra o prefeito do Município de Cuité, Charles Cristiano Inácio da Silva, por atividades lesivas ao meio ambiente. Por unanimidade, a Corte condenou o gestor a uma pena de dois anos de reclusão, substituída por duas restritivas de direitos. Essas restrições incluem a prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas, pelo prazo equivalente à pena privativa de liberdade, e prestação pecuniária no valor de 30 salários mínimos.

A denúncia, apresentada pelo Ministério Público do Estado com base no artigo 54, § 2º, inciso V, da Lei nº 9.605/98, com implicações do artigo 70 do Código Penal, alega que o prefeito permitiu o depósito indevido de resíduos sólidos urbanos a céu aberto, em local não autorizado ou licenciado por órgãos ambientais. Isso resultou em poluição com potencial dano à saúde humana, desconsiderando a destinação e a disposição final ambientalmente adequadas.

O relator do caso, desembargador Márcio Murilo da Cunha Ramos, destacou que o prefeito havia aderido a um acordo de não persecução penal (ANPP) em janeiro de 2019. No entanto, após o término do prazo concedido, o gestor não cumpriu a obrigação acordada, persistindo na conduta criminosa em apuração.

Márcio Murilo ressaltou que o prefeito, mesmo não sendo o autor direto dos atos de poluição, tinha o dever jurídico de agir para eliminar o estado de ilegalidade. O magistrado também determinou que a prestação pecuniária seja revertida em prol de entidade pública ou privada com destinação social.

A decisão ainda é passível de recurso.

O problema dos lixões na Paraíba

Lixão de Cuité

Os lixões a céu aberto na Paraíba apresentam uma série de problemas ambientais, sociais e de saúde que afetam tanto a população local quanto o ecossistema. Alguns dos principais problemas incluem:

Impacto Ambiental:

  • Poluição do Solo: A decomposição dos resíduos gera lixiviados, que contaminam o solo com substâncias tóxicas, comprometendo a qualidade do solo.
  • Poluição da Água: Os lixiviados também podem contaminar os corpos d’água próximos, prejudicando ecossistemas aquáticos e impactando negativamente a saúde humana.

Problemas de Saúde Pública:

  • Doenças Respiratórias: A queima de resíduos pode liberar poluentes atmosféricos prejudiciais à saúde, aumentando a incidência de doenças respiratórias na população próxima.
  • Proliferação de Vetores de Doenças: Lixões a céu aberto podem atrair vetores de doenças, como ratos e mosquitos, contribuindo para a propagação de doenças como dengue e leptospirose.

Exclusão Social:

  • Impacto nas Comunidades Locais: A proximidade de lixões pode estigmatizar e marginalizar as comunidades locais, afetando negativamente a qualidade de vida e o desenvolvimento social.

Desperdício de Recursos:

  • Falta de Reciclagem Adequada: Lixões muitas vezes não promovem a separação e reciclagem adequada de resíduos, resultando no desperdício de materiais que poderiam ser reutilizados.

Ineficiência na Gestão de Resíduos:

  • Falta de Planejamento: A gestão inadequada de resíduos muitas vezes reflete a falta de planejamento e políticas eficazes para lidar com o problema de maneira sustentável.

Para resolver esses problemas, é fundamental investir em infraestrutura para a gestão adequada de resíduos, promover a conscientização ambiental e implementar políticas públicas eficazes que incentivem a redução, reutilização e reciclagem de resíduos. Além disso, é importante buscar alternativas mais sustentáveis, como a implementação de aterros sanitários e a promoção de práticas de consumo consciente.

Infelizmente, a mais de 6 anos no poder, a tual gestão, observamos uma situação em que a responsabilidade é constantemente transferida de um lado para o outro. É crucial a implementação de políticas públicas eficazes, em vez de discursos vazios de culpabilização de A ou B. Independentemente de quem seja responsável, é imperativo agir, uma vez que contribuímos com impostos na expectativa de ver nosso dinheiro convertido em serviços eficientes no município de Cuité, o poder ao povo lamenta o ocorrido e espera que haja ação por parte dos responsáveis.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Publicidade
Botão Voltar ao topo